Desembargadores comprados

Desembargadores comprados

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Paulinho completaria 26 anos hoje

Completaria.

Por causa de dinheiro, não temos a presença dele hoje. Por causa de gente desonesta, Paulinho está morto e hoje não há nada a comemorar. A única comemoração possível, é a impunidade total, e isto, pode ter certeza que os assassinos estão comemorando.

Parabéns meu filho! Você ainda vive em nossos corações e mentes.

Como os assassinos estão comemorando a impunidade, não custa lembrar quem são eles:

CARLOS EDUARDO VENTURELLI MOSCONI - Manda chuva do PSDB mineiro, tem o tribunal de justiça no bolso. Já escapou de diversas denúncias de corrupção e nunca é investigado. As investigações abertas que aparecem o nome dele, são todas rapidamente arquivadas. Mosconi é o braço direito de Aécio Neves e já atuou como Assessor Especial do playboy. Mosconi é o mentor intelectual da quadrilha e mesmo assim, nada pesa contra ele. Ele também é o mandante do assassinato do Administrador da Santa Casa, Carlos Henrique Marcondes. O inquérito já dura 15 anos e a polícia "não é capaz" de chegar a uma conclusão. 


ÁLVARO IANHEZ - Ianhez é o gestor técnico da quadrilha. Ele comandava uma Central Clandestina de Transplante, o PRORIM (associação dos Renais Cronicos de Poços de Caldas), e atuava em seu consultório particular. Tudo funcionava no mesmo andar de um prédio ao lado da Santa Casa de Misericórdia. Ianhez participou diretamente do assassinato. Ele realizou o primeiro diagnostico de morte encefálica de Paulinho, cujo resultado apontou que ele estava vivo. Ianhez continuou o procedimento, solicitando a transferência do Paulinho para a Santa Casa, onde teve os órgãos removidos sem comprovação de morte encefálica. Ianhez deveria ter sido julgado em 2011, mas seus advogados constantemente conseguem adiar o julgamento. No ano que vem ele completa 70 anos e mesmo se for condenado, não cunmprirá a pena. No decorrer do processo ficou comprovado que Ianhez forjava internações hospitalares para fraudar o SUS. Processado por estelionato e concussão, foi estranhamente absolvido. O irmão de Ianhez já foi presidente da Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos, que hoje é testemunha de defesa deste assassino.


CELSO ROBERTO FRASSON SCAFI - Scafi foi responsável pela retirada dos rins de Paulinho, quando ele ainda estava vivo. Em um documento chamado "descrição de cirurgia", Scafi escreveu de próprio punho que Paulinho encontrava-se "SEM M.E." ou seja SEM MORTE ENCEFÁLICA. Scafi divide o consultório médico com Carlos Mosconi, seu sócio. Filiado ao PSDB de Minas Gerais, Scafi tentou se eleger como vereador mas fracassou. Condenado em primeira instância pela retirada de órgãos de Paulinho, foi preso, permanecendo apenas 30 dias na cadeia. No início do caso, a esposa de Scafi foi auditora municipal e em um relatório inocentou todos os envolvidos. É cunhado do ex-secretário de saúde de Poços de Caldas, também do PSDB. Scafi já tem outras condenações por retirada de órgãos de outros pacientes. Era liderado por Álvaro Ianhez.


CLÁUDIO ROGÉRIO CARNEIRO FERNANDES - Cláudio participou com Scafi da retirada dos rins de Paulinho. Assim como Scafi, tinha conhecimento de que Paulinho estava vivo e continuou com os procedimentos. A esposa de Cláudio também participava de tranplantes, conforme anotações nos prontuários, mesmo sem possuir credenciamento conforme determina a lei. Cláudio ficou 120 dias presos e já possui 3 condenações, uma delas confirmada em 2a instância. Em uma de suas entrevistas, Claúdio disse que tudo o que fizeram, também fazem em todo o Brasil e ninguém reclamou, ou seja, em todo o Brasil estão matando potenciais doadores.


SÉRGIO POLI GASPAR - Anestesista, classificou Paulinho como paciente moribundo com perspectiva de óbito em 24 horas, portanto vivo, antes da retirada dos órgãos. Poli é o mais covarde da quadrilha. Condenado pela morte de Paulinho, foi informado por uma parente que trabalha no Fórum de Poços de Caldas sobre sua prisão e fugiu. Entregou-se quando foi concedido habeas corpus. Poli ficou preso por menos de 24 horas. No início da história, Poli processou-me por injuria, calúnia e difamação e foi vitorioso em um processo conduzido por um juiz da máfia. Em 2014, ficou comprovado que o que eu disse era verdade. Poli também utilizou anestesia geral em Paulinho, mas diante da justiça afirmou que não usou tal procedimento. O medicamento usado foi o Etrane. Além das requisições comprovando a utilização do medicamento (Anestesia Geral), enfermeiras descreveram o procedimento. Além de assassino é covarde.



JEFERSON ANDRE SAHEKI SKULSKI - Jeferson é o japinha do camburão (óculos escuro) na foto ao lado. Ele fabricou a morte encefálica criando laudo falso e mentindo para as autoridades. Jeferson não foi denunciado no caso Pavesi, mas foi condenado por forjar outras mortes relacionadas a máfia do tráfico de órgãos de Poços de Caldas. O Japinha ficou 90 dias recolhidos, mas já está solto. O laudo de morte encefálica de Paulinho foi elaborado 8 meses depois da morte, a pedido de Carlos Mosconi.




Este é o quarteto fantástico. Da esquerda para direita: JOSÉ LUIS BONFITTO intensivista, ÁLVARO IANHEZ chefe de transplantes, JOSÉ LUIS GOMES DA SILVA neurologista, ALEXANDRE PACHECO DA FONSECA anestesista. Os quatro deveriam ser julgados em 2011, mas o julgamento vem sendo adiado sistematicamente e sem explicação a pedido dos réus. Nenhum deles jamais foi preso e continuam trabalhando normalmente. São acusados de homicídio doloso qualificado.



Todos os envolvidos em assassinatos em série, em Poços de Caldas, estão sendo protegidos pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais. Atualmente os processos estão todos parados, ou ainda, atendendo aos infinitos recursos dos advogados de defesa. Não há ninguém preso e todos estão trabalhando normalmente. 

FLAVIO BATISTA LEITE -  Flávio é o desembargador de Minas Gerais que está mantendo o processo parado. Foi ele quem concedeu habeas corpus para que o foragido SERGIO POLI GASPAR ficasse menos de 24 horas na cadeia. O desembargador tem atuado de forma brilhante na morosidade do processo, concedendo aos assassinos todos os tipos de recursos, promovendo a conhecida chicana processual. Flavio aspira ser ministro do STJ e para isso precisa contar com Aécio Neves. O desembargador também foi o responsável pela suspensão do último julgamento, atendendo a um pedido da máfia. Flávio telefonou ao fórum minutos antes de iniciar o julgamento e determinou o adiamento. Ele está no bolso da máfia. 

O dinheiro compra quase tudo. Não tem preço publicar este post.

3 comentários:

  1. Sou mãe, de uma moça de 26 anos, cabeça feita, um pouco imatura, meio rebelde ... mas que tem um coração enorme... assim como tenho certeza que o Paulinho teria também... Essa história é um drama da vida real, de um brasileiro que conhecí virtualmente, num comentário que fiz na campanha do governo sobre doação de órgãos, hoje ele vive exilado no exterior, teve a vida virada do avesso com a perda desse filho que completaria 26 anos... Uma dor que não passa... uma sede de justiça que poderia ter custado a própria vida... mas que ele incansavelmente busca saciar... Porque como pai e como brasileiro, ele só quer
    A VERDADE. NADA MAIS QUE A VERDADE.

    ResponderExcluir
  2. Amigo Paulo,
    Jesus Cristo é contigo, ele quer entrar na sua vida, procure uma igreja evangélica e cuide do seu espiritual para que um dia vc encontre o Paulinho, pq hj ele está na glória, ao lado de Deus, dentro do Reino dos Céus.
    E quanto àqueles médicos, o que os aguarda é terrível...

    ResponderExcluir
  3. Excelente recapitulação dos fatos, seu filho está descansando na paz do Senhor, espero que você consiga a paz também.

    ResponderExcluir