Desembargadores comprados

Desembargadores comprados

sábado, 29 de novembro de 2014

Como um Procurador Geral da República faz acordos?

Bom, este texto invade um pouco a área jurídica, que não conheço e nem perderia o meu tempo em conhecer. Pelo menos está que existe no Brasil. O brasileiro ainda não percebeu mas é este lixo que causa todos os problemas que estão explodindo nos jornais. 

Eu deveria estar escrevendo sobre tráfico de órgãos e a impunidade dos assassinos, que parceiros dos desembargadores, conseguem levar o caso ao seu 15o ano, sem qualquer prejuízo para suas vidas. Mas como isto não gera qualquer efeito, ou seja, os desembargadores não se envergonham mais de fazerem o que estão fazendo, vou escrever sobre justiça.

Lendo a coluna de Lauro Jardim na Revista Veja, me deparei com o texto "O que quer Janot" que é bastante constrangedor. Para quem não sabe, Janot é o Procurador Geral da República, ou como gosto de chamá-lo, Prevaricador Geral da República. 

Todos sabem do escândalo da Petrobrás e o envolvimento de empreiteiras que há anos esvaziam os cofres públicos com obras superfaturadas e sem licitação, ou quando muito, licitações forjadas. Pois bem, O que Janot quer? Ele quer bater um papo com as empreiteiras para fechar um acordo. Neste acordo ele não declara a inidoneidade das empresas se elas admitirem que formaram um cartel. Ora, se formaram cartel, não são idôneas! Mas o ápice de Janot vem a seguir:

"Janot prometeu às empresas que elas não seriam declaradas inidôneas e lembrou que o cartel é um crime econômico que seria discutido anos a fio na Justiça." - diz a coluna.

Entenderam? As empresas aceitam a formação de cartel (como se o réu precisasse dar um aval às acusações), e vão responder por um crime econômico - que seria discutido ANOS A FIO na justiça, ou seja, prescreverá! 

O que ganha Janot com isso? Eu não sei no âmbito Brasil, o que ganhamos com a impunidade em troca de uma confissão. Mas aconselho que alguém fique de olho na sua conta bancária. Isto está me cheirando acordo para inglês ver, com a promessa de que não vai dar em nada. Com o acordo, as empresas matam o assunto ali, e as investigações param. Fica tudo como está e a justiça fará sua parte demorando quem sabe 20 ou 30 anos para julgar o caso, tão logo esteja prescrito. 

O Ministério Público brasileiro está forrado de pessoas sujas, sem caráter, com propósitos criminosos. São capachos do crime organizado, que estão ocupando espaços onde não poderiam nem passar perto. São bandidos de toga que estão acabando com o país sob os aplausos de uma sociedade ignorante que aceita tudo que lhe empurram. 

Janot, quanto vale o acordo?

2 comentários:

  1. Realmente Paulo a sociedade brasileira é ignorante. Foram as ruas e quebraram tudo por causa de aumentos de passagens de ônibus (aqui no RJ foi 7 centavos o aumento) e agora dia do maior roubo governamental do planeta terra em todos os tempos (algo superior a 40 BILHÕES de reias) ficam em casa discutindo quem é melhor Vasco, Flamengo,Cruzeiro, Atlético etc...

    ResponderExcluir