Desembargadores comprados

Desembargadores comprados

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Mais um ano

Daqui a alguns dias completará mais um ano do assassinato do meu filho Paulo Veronesi Pavesi. Ele foi morto pela Máfia de tráfico de órgãos de Poços de Caldas que conta com a participação de desembargadores, juízes, promotores, delegados de polícia e até procuradores federais.

Os assassinos foram condenados e depois de pagarem 500 mil reais ao desembargador Flavio Batista Leite, as sentenças foram anuladas. O TJMG (Tribunal de Jagunços de Minas Gerais) está nos bolsos e na folha de pagamento da Máfia.

CARLOS EDUARDO VENTURELLI MOSCONI, chefe da máfia e mandante do assassinato do administrador do Hospital da Santa Casa, foi nomeado Secretário de Saúde de Poços de Caldas, onde tem desviado grande quantidade de dinheiro, com a conivência do Ministério Publico local. Os promotores locais recebem propinas para não investigar e arquivar qualquer denúncia contra este sujeito.

MOSCONI precisa morrer. Enquanto ele estiver vivo, a população da região corre riscos. Alguém precisa dar um basta na vida deste vagabundo, pois as autoridades brasileiras o protege de todas as formas.

O Brasil precisa de derramamento de sangue. As instituições estão podres, estão corrompidas e não há qualquer condição de mudança deste quadro.

Os assassinos estão soltos e trabalhando normalmente sem qualquer impedimento. Mais de 12 pessoas foram assassinadas por este grupo e a justiça de Minas Gerais vendeu a liberdade.

Nos próximos dias estarei publicando um post especial pela passagem de mais um ano de impunidade de assassinos de uma criança de 10 anos de idade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário