Desembargadores comprados

Desembargadores comprados

sábado, 9 de maio de 2015

Tráfico de Órgãos no Brasil - Aviso importante

Tenho recebido várias mensagens sobre uma fato ocorrido no Brasil. Uma fotógrafa que circulava em um carro com sua equipe, em busca de crianças para fotografar, foi denunciada como suspeita de tentar roubar crianças para tráfico de órgãos. Nas redes sociais, algumas pessoas distribuiram o caso, depois de solucionado, com um aviso: "Cuidado com o que você compartilha, pois pode ser mentira."

Esclarecimentos

Tais fatos (boatos) existem aos montes. Na prática, seria quase impossível que alguém fosse raptado atualmente para tais práticas (tráfico de órgãos). No passado não duvido que tenha acontecido, mas agora isto não é mais possível - e nem necessário. 

O crime de tráfico de órgãos acontece no local mais seguro (ou que pensamos ser o mais seguro). Dentro de hospitais públicos, nas UTIS, em pacientes cuja saúde é delicada, geralmente por traumas cranianos e AVC (acidente vascular cerebral). 

Estes pacientes são considerados um peso para os hospitais. Muitas vezes suas mortes são aceleradas para abrir uma vaga na UTI e ao mesmo tempo, para aumentar o número de doação de órgãos. A morte também é acelerada por uma razão simples: quanto mais cedo o órgão for retirado do corpo, melhor será a condição deste órgão. Segundo pesquisas da medicina chinesa, um órgão retirado de um paciente vivo, tem chances maiores de sucesso, do que órgãos retirados de pessoas com morte encefálica diagnosticada. Isto é um fato também confirmado pela medicina Britânica.

Campanha de doação de órgãos da ABTO
A imagem não parece ser de uma criança
doadora e sim de uma criança raptada.
Portanto, não compartilhem notícias sobre roubo de crianças para tráfico de órgãos. Tais roubos geralmente são falsos. Quando acontecem, a finalidade é a pedofilia, exploração sexual ou trabalho escravo. Há ainda episódios comprovados de mágia negra. Mas tráfico de órgãos não. Isto colabora para que os interessados em transformar o tráfico de órgãos (ou seja, os próprios traficantes), em mito, tenham sucesso. 

Para quem quer investigar casos de tráfico de órgãos, não é necessário seguir vans pela cidade. Basta visitar uma UTI pública em qualquer hospital do Brasil. Se tiver acesso, perceberá que pessoas, principalmente em coma, estão sendo abatidas com frequência para doarem seus órgãos. 

Lembre-se que a ABTO determina metas de doação para todo o Brasil. Esta organização deseja colocar o Brasil na posição número 1 de doadores de órgãos no mundo, e não tem medido esforços para isto. O número de doador por milhão de habitante é a marca que transplantistas brasileiros querem superar. Atualmente a Espanha é o país onde há o maior número de doadores de órgãos. Para isto, acreditem, existem metas de produção expostas até mesmo nos sites da ABTO. 

Como uma indústria tem suas metas de produção e empresas tem suas metas de vendas, o transplante tem como meta aumentar o número de doadores - e não salvar vidas como se imagina e querem fazer você acreditar. 

Ironicamente, não há qualquer preocupação com os resultados. Não importa o que aconteça após o transplante. Inúmeros casos falham logo após a cirurgia. Mas isto não importa. Não estão buscando a qualidade e sim a quantidade. Quanto mais transplantes (com ou sem sucesso) maior é a rentabilidade, maior é a exposição na mídia, maior é o caminho da fama. E os mortos que se danem. 

Um comentário:

  1. Hoje é dia 07/11/2016.
    Acabei de receber 3 áudios sobre sequestro de crianças para retirada de orgãos e fiquei apavorada, mas antes de reenviar para meus contatos, resolvi pesquisar e achei esse artigo.
    Muito obrigada pelo esclarecimento...
    Rosângela

    ResponderExcluir