Desembargadores comprados

Desembargadores comprados

sábado, 3 de setembro de 2016

A bandidagem da saúde - Operação Mister Hyde

Foi "descoberta" uma organização criminosa que envolvia procedimentos médicos desnecessários com o uso de órteses e próteses de qualidade inferior ou com data de validade vencida, compradas com preços superfaturados. Esta organização criminosa está espalhada pelo Brasil. 

Ao contrário das máfias de tráfico de órgãos, o esquema foi interrompido por não oferecer benefícios à membros do Ministério Público e demais autoridades. O tráfico de órgãos hoje, envolve diretamente o Ministério Público e a Justiça Brasileira já que são eles que autorizam as cirurgias na ilegalidade através de ações judiciais camufladas de legalidade.

PERIGO

Ao contrário do que muitos possam imaginar, aqueles senhores bonzinhos, vestidos de branco e com um estetoscópio pendurado no pescoço, podem ser perigosos.

Segundo a Polícia Civil, o grupo tentou matar um paciente que ameaçava denunciar a quadrilha, deixando um arame de 50 cm na jugular dele. Da mesma forma que os traficantes de órgãos matam pacientes em coma para aproveitar os órgãos, o médicos deste esquema, destruiam partes importantes de seus pacientes para vender próteses. 

Crimes contra a saúde pública deveriam ser hediondos, sem fiança, e os acusados não poderiam ter direito de responder em liberdade. Mas no Brasil, estes mesmos acusados, em breve estarão fazendo novas vítimas em algum hospital do país. Quem sabe no Santa Elisa em Jundiaí?

Os crimes teriam sido praticados nas esferas pública e privada da Saúde. Segundo a investigação, um dos alvos é coordenador de uma área da Secretaria de Saúde. A apuração da Mister Hyde evidencia casos em que cirurgias eram sabotadas pelos médicos para que o paciente necessitasse novos procedimentos, o que geraria lucro para o esquema. Além de utilizarem produtos vencidos, os envolvidos também trocavam produtos mais caros por outros de menor custo.

MUITA GRANA

Ainda segundo a Polícia Civil, o esquema movimenta milhões de reais em cirurgias, equipamentos e propinas. Durante as buscas, R$ 51 mil foram encontrados na casa de um dos médicos, outros R$ 100 mil na casa de outro alvo além de US$ 90 mil dólares e euros. Em outra residência no Sudoeste, foram apreendidos aproximadamente R$ 69 mil, grande documentação de clientes e um cofre que o autor se recusa a abrir.  

Nenhuma organização criminosa pode prosperar sem pagar propina. E pagar propina significa calar polícia, promotores, investigadores, juízes e autoridades em geral. Sem a participação de membros do poder público, não existe organização criminosa.

PARAÍSO

O Brasil é o paraíso da criminalidade. A área da sáude é uma área fértil, fácil de se roubar. Carlos Eduardo Venturelli Mosconi é um exemplo disso. Ele é o maior traficante de órgãos do Brasil e ao mesmo tempo intocável.

Nenhum comentário:

Postar um comentário