Desembargadores comprados

Desembargadores comprados

domingo, 11 de maio de 2014

Opinioes "isentas"

No Facebook alguem compartilhou uma das reportagens publicadas no G1:


A reportagem pode ser lida aqui na integra. O texto exibe uma imagem de uma arteriografia realizada em Paulinho quando ele ainda estava no Pedro Sanches. E neste compartilhamento, um medico de Poços de Caldas fez um comentario sobre as chapas que vou explicar em detalhes aqui. Nao so isso. Vou explicar quem é o medico e por que esta fazendo isto.


Durante o processo foi criada uma encenaçao para que as arteriografias realizadas na Santa Casa, e que estavam desaparecidas, fossem encontradas. O Procurador Federal Adailton Ramos do Nascimento, que investigava o aspecto criminal, - nao se sabe como e nem porque - foi vasculhar uma açao civil no forum da cidade e informou ter "encontrado" o exame. Esta açao civil era um pedido de indenizaçao que fiz contra o Hospital Pedro Sanches, e obviamente as chapas que estavam ali referentes a arteriografia, nao foram realizadas na Santa Casa e sim no Hospital Pedro Sanches. Ou o hospital usaria chapas da Santa Casa para se defender?

Tal fato esta detalhado na sentença que foi publicada nos jornais da cidade de Poços de Caldas por determinaçao judicial,  e portanto de conhecimento publico geral. Mas vale ser republicada aqui:

Somente para registro, realmente é notável a memória de ADAILTON para depois de mais de doze anos se lembrar de dois exames radiográficos do crânio da vítima, quando na verdade foi feita uma TOMOGRAFIA e uma ARTERIOGRAFIA (a primeira em uma clínica particular e o segundo exame no Pedro Sanches). Certamente o Procurador se enganou: o segundo “raio-x” negativo nunca foi feito, este sim foi o MAIOR ENGODO das equipes médicas da SANTA CASA. Caberia uma singela indagação: se a criança estava viva no Pedro Sanches porque a central clandestina de captação foi acionada? 
Existe outra prova cabal das mentiras: o documento à f. 184 do vol. 1, fornecido pela própria SANTA CASA de admissão de pacientes/ficha de internação (DADOS CADASTRAIS DO CLIENTE, DADOS DA INTERNAÇÃO ATUAL) indica que a hora em que a vítima foi internada em tal hospital- 18:13 do dia 21/04/2000. Como poderia ter sido internada às 18h13min e ser submetida a arteriografia de quatro vasos, “padrão ouro”, às 13h, como diz o radiologista JEFERSON SKULKI? 
Mais uma prova incontestável da mentira em padrão FIFA, digo Ouro: o apenso 31 se constitui na ação de indenização movida por Paulo Airton Pavesi contra o Hospital Pedro Sanches perante a 2ª Vara Cível de Poços de Caldas; se vê à f. 222 (não numerada) que a advogada do Pedro Sanches, Fabiana Castellano, (Escritório Cardillo e Associados) informa ter recebido em 14/02/2002 (no dia ou a poucos dias da morte do administrador da Santa Casa) 7 (sete) chapas do exame de arteriografia e uma chapa de exame de tórax de PVP, exames realizados no Pedro Sanches em 19 e 20/04/2000, enviados pela SANTA CASA (o documento é assinado por REGINA CIOFFI, diretora técnica); CIOFFI ainda informou que tais chapas estavam sem o laudo. Às fls. 225/226 há um ofício do Delegado Célio Jacinto endereçado ao juiz Antonio Pereira Gatto, da 2ª Vara Cível, requerendo os exames citados, cita expressamente o procurador ADAILTON (diz JACINTO que ADAILTON teve acesso aos autos de indenização e que a radiografia e a arteriografia forma juntados ao processo pelo Hospital Pedro Sanches); ainda menciona que um perito desconfiou que as radiografias não batiam com as do laudo de exumação. Vê-se que tudo não passou de armação, de uma farsa. As famosas chapas do exame de arteriografia da SANTA CASA nunca foram feitas, pois se trata, na verdade, das chapas do exame de arteriografia de dois vasos (punção pelas carótidas) feito no Pedro Sanches (sete chapas citadas no documento da SANTA CASA, de REGINA CIOFFI).
Foi por isso que a CPI, tal qual este magistrado, NUNCA VIU as chapas de quatro vasos: “A CPI não teve acesso à segunda arteriografia, pois não recebeu do juízo competente cópias dos documentos objeto de busca e apreensão” (f. 95, apenso 23, Relatório da CPI). Porque a 2ª Vara Cível de Poços não se interessou de remeter os documentos para a CPI? Não remeteu porque se o tivesse feito a trama teria sido descoberta ali mesmo e não agora.
É por isso que CELSO SCAFI tanto se confundiu quando tentou afirmar que havia a 2ª arteriografia feita na SANTA CASA (quando brandiu cópia de um envelope vazio e foi advertido pelo Deputado Rubinelli que poderia responder por crime de falso testemunho (f.93 do Relatório da CPI, apenso 23) e depois “despistou”: “poderia ser que não estivesse” (as chapas, com a PF), respondendo à Dep. Laura Carneiro (f.94), passando a mencionar as anotações que fez a posteriori na “descrição do ato cirúrgico”, onde está também a famosa inscrição “SEM ME” (fls. 90/95).
Muito bem! A imagem desta arteriografia é esta:


Nota-se claramente a existencia de circulaçao sanguinea no cerebro, o que significa que Paulinho estava vivo. Em outro trecho da sentença, o Juiz Narciso de Castro volta ao tema:

O exame clínico (ainda no Pedro Sanches, infringiu todas as normas tanto do CFM, quanto da legislação federal), a vítima estava massivamente sedada, não foram feitos os dois exames clínicos com o intervalo de no mínimo 6 horas (o espaço para o segundo exame estava em branco), o médico não era neurologista à época (ao menos pelo que consta nesses autos, vide relatório desta sentença). Por isso também não houve o segundo exame de arteriografia, apenas a simulação e depois, alguém teve um “estalo” e resolveu sair falando que as 7 chapas que tinham sido feitas no Pedro Sanches (arteriografia de dois vasos) e juntadas no processo da 2ª Vara Cível eram as chapas (“raio-x” para ADAILTON) da suposta arteriografia de quatro vasos que nunca foi feita e por isso nunca foi encontrada ou vista. Também por isso pouca importa se a arteriografia de quatro vasos é ou não eficiente no prognóstico da morte encefálica (como disse JOSÉ OSMAR MEDINA, presidente da ABTO e, portanto, pessoa suspeita para emitir opiniões), pois nunca foi feita, não ficou comprovada a sua realização, se fiando tão somente nas palavras de um médico radiologista para lá de suspeito e terá que responder pelo delito de falso testemunho ou fraude processual. A vítima estava viva, não havendo que se falar em “impropriedade do objeto”, como quer a Defesa. Esta chegou ao extremo de dizer que os seus defendentes estavam “operando um cadáver”, em afirmativa de cunho ofensivo (SKULKI disse: “Paulo Veronesi, antes de ser submetida a angiografia por parte do depoente estava na condição de ‘potencial doador de órgãos’ e não doador-cadáver’”. Ora, não foi o que pareceu, na prática, pois mesmo saindo vivo do Pedro Sanches, apesar de tudo que sofreu ali, desde o início foi tratado sim como doador-cadáver, tanto que foi operado como cadáver, como a própria Defesa confessa, ainda que vivo estivesse).
E quem é Jose Osvaldo Darcie?

Darcie é medico homeopata e que trabalhava no Hospital Pedro Sanches quando tudo aconteceu. Ele tambem era meu vizinho. Morava no mesmo predio em que ocorreu o acidente. 

E por qual motivo esta tentando confundir a opiniao publica?

Jose Osvaldo Darcie participou de um diagnostico clinico de morte encefalica de Paulinho, portanto é parte responsavel pelo que fizeram a ele. So nao entendo como nao foi denunciado. Mas o crime de homicidio ainda nao prescreveu, e portanto ainda ha uma chance nao é mesmo? 

Em 20/03/2002, Darcie disse a Policia Federal em depoimento formal o seguinte:
“chegou a acompanhar o exame clínico no paciente, antes de submetê-lo à arteriografia e pode assegurar que o paciente estava em morte clínica eis que não respondia a estímulos neurológicos, dolorosos, estava com as pupilas dilatadas sem responder à estímulo algum.”
Paulinho estava extremamente sedado e seria impossivel esboçar qualquer reaçao que fosse. E Darcie sabia disso! Tanto é verdade que o exame clinico feito por Darcie e que garante a morte de Paulinho foi desqualificado quando a arteriografia demonstrou fluxo sanguineo, ou seja, ele estava vivo. 

O bom medico - padrao FIFA - Darcie, nao foi capaz sequer de realizar um exame clinico, imagino o quanto seja relevante a sua opiniao sobre este caso.

Agora esta dizendo que o Juiz esta ocultando provas!
Caberia uma boa açao contra isso nao é mesmo?

A impunidade é isto! Cadeia vazia e bandidos falando o que querem pela internet, com o proposito de jogar a opiniao publica contra a justiça. Ele sabe que poucos tem interesse em ler a sentença, seja por indignaçao com o crime praticado, seja pela ciencia de que a impunidade - apesar de todas as provas - sempre reina. 


2 comentários:

  1. A máfia de branco quando se junta a máfia de preto formam a desgraça maior deste país.
    Pobre Paulinho, Bernardo e outros indefesos. Não encontraram proteção quando vivos, e continuam vilipendiados mesmo estando mortos.

    ResponderExcluir
  2. Bem, não me surpreende um homeopata fazer o que fez. Se tem coragem de ser homeopata, né? Mas do que provada que homopatia não funciona, ou funciona tanto quanto o efeito placebo. Mas num país onde falsa ciência é reconhecida como especialidade médica vai se esperar o quê? Muita gente que acha que homeopatia funciona é porque confunde com fitoterapia, esta sim funciona, é da fitoquímica que se extrai princípios ativos como do Taxol. Como a maioria não entende nada de bioquímica, fica fácil sobrepor 'terapias' e conceitos para vender água e pílulas de açúcar. Para mim, surpresa zero. Mas, realmente, permitir que um médico homeopata participasse de todo o processo é escandalosamente criminoso. Espero que seja devidamente enquadrado. Dá tempo ainda. É natural que ele defenda os demais colegas, Paulo, ou periga levar na cara um 'cala a boca seu homeopata charlatão' dos queridos colegas de CRM...


    P.S: Já que está na Inglaterra, caso tenha tempo, procure saber da experiência que fizeram aí sobre overdose de homeopatia para ver se funcionava...

    ResponderExcluir