Desembargadores comprados

Desembargadores comprados

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Médicos matando médicos - 2o capítulo

Pois é. Acertei novamente!

O Fantástico trouxe à luz o motivo pela qual o Daniel Fortis disparou 3 tiros contra seu urologista, um médico renomado do Sírio Libanês. 

Daniel sofreu um acidente de moto em 2012 e depois disso passou a ter diversos problemas. O primeiro dele aconteceu no atendimento de emergência. A uretra foi danificada. Daniel procurou então um urologista para a reconstrução do canal. A cirurgia foi uma lástima causando maiores problemas ao Daniel. Foi então que ele decidiu procurar o bam bam bam dos urologistas. E aí, o problema ficou maior ainda.

Segundo o irmão de Daniel, após a última cirurgia, Daniel que era médico, passou a ter impotência e dores constantes que o levaram a depressão. 

Daniel, ingênuo, fez o que todo paciente acredita que seria o correto. Queixou-se ao CRM-SP. 

Daniel parece que não conhecia bem o Conselho. Achou que o caso seria examinado e um parecer detalhado sobre o caso seria apresentado. 

No entanto, o que o conselho fez? Absolveu o urologista. O mesmo Conselho que ignorou as denúncias de pacientes de Abdelmassih. Aliás, o Conselho nazista de medicina existe para proteger os médicos renomados. E o bando é unido. Durante a reportagem aparecem outros médicos dizendo que tudo o que foi feito estava correto, mesmo sem apresentar qualquer documento, exame ou a análise das reclamações de Daniel. Tudo arquivado!

Daniel percebeu o que eu e centenas de brasileiros já descobrimos. A impunidade. A certeza de que ninguém vai questionar um médico renomado - que nunca erra. Os médicos brasileiros renomados são uma espécie de Deus. Não erram, nunca estão errados, nunca falham, nunca deslizam. São inabaláveis. Intocáveis. E ai daquele que questionar. Terá a vida destruída. 

Diante deste quadro, Daniel decidiu que levar o caso a justiça seria perda de tempo. Um judiciário pra lá de favorecedor deste tipo de réu, seria perda de tempo e dinheiro, além de muito stress. 

Para a infelicidade do Conselho Nazista de Medicina, Daniel fez o que fez. E alguém que chega ao extremo como chegou Daniel, é porque alguma coisa estava errada. 

Enfim, Caso encerrado e o Conselho Nazista de Medicina deve estar festejando mais uma vitória da impunidade. Os homens de renome no Brasil são construídos assim.

Não vai demorar muito, haverá alguém dizendo que Daniel danificou sua própria uretra só para culpar o renomado santo homem da medicina.

Ahhh... já estava esquecendo. No consultório foi encontrado uma outra arma além de uma faca. Vão dizer também que pertencia a Daniel para que tudo fique como está. Este pessoal não brinca em serviço. A imagem de Daniel agora é de um troglodita armado até os dentes, sem motivo algum para fazer o que fez. Louco!

Um comentário:

  1. Fiquei sabendo da morte do medico e ja imaginei que fosse por justica.
    Estamos num país onde toda autoridade é corrupta, nao se pode confiar em ninguem.
    Mas uma coisa pode estar certo: Deus age. Não é uma coisa presa numa cruz da parede. Ele age, Ele odeia injustiça.
    Precisamos acreditar mais nas oraçoes.
    Abraços,
    Jane

    ResponderExcluir