Desembargadores comprados

Desembargadores comprados

domingo, 5 de julho de 2015

O Estado parceiro da Máfia

Caros brasileiros de bem,

Eu gravei um vídeo na última quarta-feira, mas não vou publicá-lo devido as mudanças que aconteceram nesta semana. Eu recebi um material muito importante que comprova a união entre o Estado, representado por procuradores de justiça, defensores públicos e o próprio TJMG com a máfia do tráfico de órgãos, e portanto farei um novo vídeo onde vou demonstrar como uma transferência de presos pode ser tão suja e desonesta dentro do âmbito de justiça, que em tese, deveria proteger o cumprimento das leis. 

Mas não protege.

A coisa agora é aberta! O vale tudo está escancarado. O fato mereceria uma intervenção do CNJ ou de outra esfera federal, mas a bandidagem manda. 

Nesta semana, não percam o vídeo que vai esclarecer muitas coisas.

2 comentários:

  1. Que bom que você está em terra segura, pois aqui nesse país de merda quem realmente manda são os bandidos infiltrados na Justiça, no Ministério Público, na Polícia, na Defensoria Pública, na Política etc.

    Cadeia aqui é só foi construída para pobre; quem tem dinheiro, tem passe livre para assassinar, roubar, estuprar, fraudar licitações públicas, vender sentenças etc., pois no máximo será condenado a responder pelos crimes cometidos em liberdade (veja o contrassenso!) ou, no prejuízo, em suas prisões-mansões domiciliares. Existe até a possibilidade do VAGABUNDO, ser aposentado compulsoriamente às custas do suor dos contribuintes brasileiros.

    Bota pra quebrar nos vídeos, pois faço questão de divulgar sempre!!!

    Luta que segue!!!

    ResponderExcluir
  2. Essa semana tive uma boa e diferente ideia. Sabe aquelas empresas de call center que ligam para a pessoa para cobrar dívidas junto a bancos, lojas, cartões de crédito etc? Pois bem, nesta semana uma dessas me ligou para cobrar uma dívida que estou contestando na justiça, perguntei para saber de onde era a ligação e fui informado que era de Minas Gerais, logo me veio a cabeça de divulgar o Caso Paulinho para a atendente, solicitei que digitasse no google o nome Paulo Pavesi e acessasse o blog.

    Para a minha surpresa, alguns minutos depois, a atendente me liga estarrecida com o caso e dizendo que iria mostrar aos familiares e amigos o blog.

    Então, fica aí a sugestão, ao receber uma ligação de funcionários de empresas e de call center, seja amigável e divulgue o Caso Paulinho, pois muitas dessas empresas são do Estado de Minas Gerais, local do ocorrido.

    ResponderExcluir